Latest Entries »

é gente a vida é fogo quando agente pensa que viu de tudo se deparamos com mais uma monstruosidade da classe media alta!!

um crime horroroso!!


Boas pessoal,
hoje ouvi disser que anda por ai um “gang” chamado Gang da boca de palhaço , que nos abordam na rua e dizem : Violação, espancamento, ou boca de palhaço (cortam os cantos da boca até ás orelhas) .
E naturalmente as pessoas não vão escolher as primeiras duas primeiras porque sabem o que são mas a terceira a maior parte das pessoas não sabem o que é por isso escolhem , e são lhe cortadas do canto da boca ate as orelhas”

osso
Fonte policial adiantou ao Algarve Primeiro que o grupo que tem andado a cometer roubos, furtos e actos de violência na cidade de Faro já está referenciado e controlado pelas autoridades policiais.

De acordo com a mesma fonte, o jovem que lidera o grupo está neste momento detido e a aguardar audiência em Tribunal.

Sabe-se que o processo continua em investigação e, para além de C., que é considerado o líder do grupo foram constituídos arguidos mais 4 elementos que, não tendo sido apanhados em flagrante, não puderam ser detidos, ficando sob suspeita das autoridades.

Recorde-se que se trata de um grupo de 5 adolescentes, identificados pelas autoridades e com antecedentes de participação em situações semelhantes.

O jovem C., que foi apanhado em flagrante delito e que aguarda a decisão do Tribunal de Faro para conhecer a medida de coação que lhe será aplicada, já terá sido detido 7 vezes.

A policia assegura não existirem razões para alarme.

De acordo com outras fontes, o Algarve Primeiro sabe que circulam e-mails onde se conta o tipo de actuação deste grupo, revelando que jovens do sexo feminino são confrontadas na rua ou em locais pouco frequentados.

Os rapazes propõem ás vítimas: violação, pancadaria ou, por último “boca de palhaço” que significa um corte em ambas as extremidades da boca que precisam de intervenção cirúrgica para correcção.

Forçosamente as jovens têm de optar por uma destas sugestões sob pena de agravamento dos castigos.

Duas jovens já foram parar ao Hospital Central de Faro.

Fonte :Algarve Primeiro.com

A minha pergunta é a seguinte : será isto verdade ou não

No Telejornal dizem que não mas eu tenho uma pessoa que falou com um enfermeiro do hospital de Faro e essa pessoa dez que deram entrada 3 raparigas nas urgências com a boca cortada dessa maneira !

QUER VENDE A ALMA PRO CAPIROTO?? ENTAO TOMA NENEM!!

FIQUE DOIS DIAS SEM DORMI, NO TERCERO TOMA UMA CARTELA DE BENFLOGIN
NAO VAI FUNCIONA SE VC NAO FIZE ISSO
PRIMEIRO DE TUDO ESCOLHA UM LUGAR VAZIO PODE SE PREDIO VELHO.
DAI TU PEGA ESSE SIMBOLO AQUI Ó:

NUMA CARTOLINA!!! de preferencia CARTOLINA PRETA!! E USE TINTA VERMELHA GUACHE BARATINHO!! PARTE IMPORTANTE, FAZE EXATAMENTE IGUAL A IMAGEM!!! TO TAMANHO CERTO 1m x 1m de cartolina que voce irá colar perfeitamente até formatar este quadradão.

Lembre-se você é inteligente e capaz de criar isso. QUE É UM METRO POR METRO. DAI VOCE FAZ UM CIRCULO COM ESSE SIMBOLO AQUI Ó:

Símbolo forte de proteção

PROTEÇÃO

o circulo tem q ser grande pra cabe voce!!

DAI VOCE ACENDE UM INCENSO QUE TU GOSTA
ACENDA VELAS PRETA E VERMELHA pra iluminar o ambiente

NO FINAL TEM Q FICA MAIS OU MENOS ASSIM Ó:

DAI TU SENTA NO MEIO DO CIRCULO de estrela e de frente para o símbolo do VISCERA MIRROR e se concentra na projeção que será realizada sobre o símbolo.

é importante chamalo! VISCERA MIRROR VISCERA MIRROR VENHA ATE MIM E RESPONDA MINHAS PERGUNTA!

DAI ELE VAI APARECE OU VAI DEIXA TUDO GELADO OU VAI APARECE NA SUA MENTE PARESSENDO UMA FUMAÇA O ROSTO PODE SE BONITO DE ALGUEM LOIRO DE OHOS CLAROS OU APARECE UM HOMEM COM CABESSA DE ANIMAL AI VAI DE VC

AQUILO QUE VAI APARECE É TEU LADO OBSCURO; MAS NAO PENSE QUE AQUILO NAO TEM VIDA
AQUILO PENSA!!!
VAI RESPONDE AS PERGUNTA
VOCE É QUASE COMO UM DEUS. VOCE NÃO É UM SIMPLES AMONTOADO DE CARNE QUE PENSA. VOCÊ É UMA PARTICULA DE DEUS, ENTÃO AQUILO QUE VOCÊ IRÁ SE PROJETAR NO SIMBOLO IRÁ PRODUZIR O VISCERA MIRROR QUE EXISTE DENTRO DE TODOS NÓS.

NAO TEMA. SE SENTIR MEDO, IRÁ PRODUZIR EFEITOS NÃO DESEJADOS POR VOCÊ.
COLOQUE ALGODÃO NAS NARIDAS PARA RESPIRAR PELA BOCA. O CHEIRO FÉTIDO DOS DEMONIOS CAUSAM ENJOÔ.

fiquem certos, mais de trezentas pessoas tentaram e deu certo.
Vocês têm a minha palavra!

´

Ninfetas na Furia – Eu, um Pepino e a Webcam

” Olá. Meu nome é Nina. Conte-me seus segredos mais pútridos, mais sórdidos. Se possível pague antes, eu os realizarei.
Assim como posso ser a garota mais portentosa que irás conhecer, posso também ser o teu mais sórdido prazer.

Sempre repito para todo mundo que conheço:

Está triste? Foda.
Está feliz? Foda..
Está aborrecido? Foda.
Está relaxado? Foda.
Está embriagado? Foda.
Está confuso? Foda.
Está alterado? Foda.

Não existe apenas uma forma de sexo. Existe sexo oral, vaginal, anal, casual, verbal, moral, mental, anoréxico, lúdico, violento, sexo pago, sexo não consensual e ao mesmo tempo consensual, sexo doloroso, sexo anoréxico, sexo submisso, etcetera.
O que quero ressaltar é que não faz sexo quem não quer, pois se você vier com a desculpa que é feio, não dê bota na gorda de cabelo ruim da tua rua.
Olhe no espelho, e não seja exigente; você não vai foder o rosto dela. Vai foder a boceta dela que até onde eu sei, será quente e úmida e possuirá milhares de combinações nervosas, diversas possibilidades de prazer mútuo. Tua glande tem mais combinações neurais do que tua língua ou qualquer outra mucosa do teu corpo.
O meu grelo, e de todas as mulheres, são a parte que tem mais terminações nervosas do corpo! Então vocês podem imaginar como sentimos prazer, no nosso ponto libidinoso, na nossa “carninha do diabo” eheehehe. Não sabe onde fica o clitoris ? Porpeta. Pesquise, e antes de foder, caia de boca. Chupe, lambuze, faça movimentos circulares com a língua. Cuspa, morda devagar. Use os dedos, explore nossas bocetas, deixem-nos molhadas, enxarcadas. Não seja um imbecil, não sinta nojo, gostamos de ser estimuladas antes de enfiarem seus cacetes em nossas grutas. Depois que nos deixarem bem molhadinhas, até que pensaremos em chupar seus cacetes até o final, deixaremos vocês gozarem em nossos rostos… Deixaremos vocês comerem nossos cuzinhos, mas com muita lubrificação okay ?
Falei tanto de fodelança que talvez alguns de vocês se decepcionem com o conteúdo deste conto. Vocês entenderão, afinal foi a primeira vez que fiz sexo sem contato físico. A primeira vez que fiz sexo vegetariano, com um legume. A minha primeira foda vegetariana.
Sério, foi bom dimais. Lembro-me que foi em uma sexta-feira 13, tinha saído eu e Patrícia, fomos até o shopping Tatuapé mas o rolê tava miado… Miado demais, fail total. Comemos um McCheese, tomamos umas doses de catuaba, sentei no colo de Patrícia só para tirar uma onda com os senhores babões que passavam, querendo ver a bunda das teens do shopping. Dava pra ver o desejo ardente nos olhos daqueles velhos Humbert Humberts. Merda, Fail total mesmo, nem no estacionamento estavam os senhores que costumavam ficar por lá, sempre com suas notas de vinte e cinquenta reais, para receberem boquetes em seus carros. Sexo é ótimo, mas prefiro fazer recebendo algo em troca, aheehehheehe
Eu e Pati já estávamos loucas, bêbadas e taradas. E estávamos no cio, eu já disse aqui que nós duas ficamos no cio ao mesmo tempo, então já viram né?
Mas vou evitar falar sobre isso aqui pois Incesto é proibido. Onde está a liberdade de expressão? Aonde meu Deus?
Na volta para casa, até a estação Brás, fomos no último vagão. Entramos, sentamos. Vazio. Ops, vazio não, um deus grego estava absorvido em uma leitura, que foi desviada e perpetuada em um olhar penetrante.. E que olhar!
Apenas um garotão, bem de faculdade mesmo, cabelos castanhos escuros lisos e grossos, de topete; lotado de brilhantina. Olhos escuros, abaixo de sobrancelhas escuras e grossas, porém ainda sim cuidadosamente desenhadas. E uma pele morena clara, da cor do pecado. Alto, aproximadamente 1,86, alargadores enormes, um em cada orelha. Rosto anguloso, furinhos no queixo, uma boca bem desenhada, o lábio inferior levemente maior que o superior. O mais bizarro, era um piercing que ele tinha, no pescoço (?). Sim, uma espécie de transversal, abaixo do gogó. Manolos, não sou de assistir crepúsculo, mas ele era a cara do lobisomem mano! Que porra era aquela! E o mais engraçado, apenas nós três no vagão!
Vocês sabem que sou danada, não sabem?
Quando pensamos, atraímos. E foi exatamente o que aconteceu. Não demorou nem chegar na estação seguinte, o metrô simplismente para, com um movimento brusco. As luzes também apagam-se. Sim, o metrô parou, e apenas uma luz vermelha de emergência foi acesa. Estávamos nós duas sozinhas com um garoto lindo, da sua maneira porém continuava sendo lindo.
Eae, o que eu iria fazer? Já tava locona mesmo:

– Quer bater uma aposta que eu mostro a bunda para aquele cara?
– Vinte reais agora – disse Patrícia, retirando uma nota da carteira e colocando no decote.

Levantei-me e fui andando em direção ao Lobisomem ehhehee, foi cômico o olhar que ele lançou para mim, uma mescla de surpresa e sedução, era difícil perceber. Creio que naquele momento ele pensou que eu iria propor que ele ficasse com a minha irmã, ou comigo, rs*.
Silêncio total, apenas a risada baixa de Patricia, vendo aquela situação cômica.
Parei na frente dele, virei de costas, abaixei meu shorts até o pé, dei uma rebolada, olhei para trás. Mordi o lábio. Eu estava usando uma calcinha vermelha, quase um fio dental rs* Encostei as duas mão no banco, e empinei minha bundinha para aquele estranho, espondo a minha vulva rosada, que escapava para fora da calcinha vermelha…
Sério, a reação dele neste momento foi inesperada, total. Depois de dez segundos parada, com a bunda praticamente na cara dele, olho para trás e vejo ele só com o zíper aberto e um cacete à mostra, um pau moreno e grosso, de exatos dezesseis centímetros, ele estava batendo uma mano! Que atrevido!

- Agora que me provocou vão ter que pelo menos dar uma chupada… Rápido pois desço na próxima estação!

Pra que ele foi falar isso ? O safado nem perguntou nosso nome. Patrícia levantou na hora, eu já ajoelhei na frente dele, Patrícia fez o mesmo do meu lado, putz ele era lindo, um moreno lindo. Abri a calça dele totalmente, estiquei aquele cacete grosso pra cima, raspado, e chupei a bola direita dele, para dentro de minha boca. Patrícia fez o mesmo com a esquerda, enquanto eu devagar segurava o cacete, masturbando bem devagar… Ele gemia de prazer enquanto acariciava nossas nucas, sentindo nossas línguas massageando aquelas bolas… Huum que gostoso.. Dava para sentir a porra dele guardada naqueles bagos… Com a língua fui percorrendo devagar cada centímetro até chegar na cabeça do pênis, com os lábios abaixei o prepúcio e me dediquei a lambuzar aquele cabeção, ele já delirando… Até que…

“PIIIIIIIIIIIIIII Desculpem-nos o transtorno. Estação Bresser-Mooca” Merda ele ia embora. Tão rápido quanto o pau dele endureceu, ele guardou seu cacete na cueca, deu um beijo em cada uma de nós, e deixou um cartão, com seu nome e email. E saiu, com um sorriso de orelha-a-orelha. Peguei meus vinte reais no decote de Patricia e limpei um pouquinho de porra que estava na boca dela.

Parte Dois – Legumes leguminosos !

Delícia! A noite não tinha sido totalmente fail afinal. Um caralho tínhamos chupado, assim como irmãs devem fazer juntas (sem incesto).
Chegamos em casa, tomei um banho quente, delicioso. Resolvemos assistir um filme até que TCHAN! lembrei-me do email do lobisomem. Não tirava da minha cabeça aquela chupada deliciosa no metrô. Liguei meu notebook e tratei logo de colocar uma música eletrônica, son de E.T. Gente, fiquei tão feliz quando eu adicionei no msn e a plaquinha subiu dizendo que ele estava online! E o melhor, a foto logo me deixou toda molhada, ele sem camisa revelando um físico bem trabalhado, e um rosto de garoto mal. Delícious. Conversamos da meia noite até duas da manhã… Patrícia entrou no quarto com um litro de pau na coxa (vinho com leite condensado) Delícia. Te amo Pati. Até que resolvi propor uma brincadeirinha, mandei o gatinho esperar e fui me arrumar. Abri o armário, fui na última gaveta. Tirei o forro secreto, onde eu guardava dois vibradores, KY, diversas camisinhas, CD’s das minhas fodas filmadas. Sim, eu filmo as minhas fodas, ao todos eu tinha dez fodas filmadas, até mesmo vídeos da Patrícia dançando, rebolando, vestida de Spider Girl. Aquela louca. Enfim, peguei minha fantasia de coelhinha, tirei minha calcinha, coloquei o meu shortinho mínusculo branco, que apertava minha vulva, mostranho o meu pacotinho. Coloquei um topizinho que apertava meus seios fartos, o biquinho dos meus peitos agora estavam quase rasgando, de tão durinhos, a marquinha dos mamilos ressaltando por sobre o top decotado, branco. Sobre a minha cabeça, uma tiara, com duas orelhas de coelho.
Eu estava linda, uma verdadeira Ninfetinha na Furia.
Preparei tudo, deitei na cama de bruços e deitei o notebook com a webcam ligada, ao todo dava para ver desde a ponta do meu pé até o meu rosto. A webcam foi devidamente e estrategicamente colocada para mostrar os meus seios decotados e minha bundinha. Apertada debaixo daquele shorts minúsculo. E minha cara de safada, lambendo os lábios, fazendo charminho, mordendo o cantinho da boca.
Começamos a conversa por webcam. Ele estava sem shorts, sem camiseta. Os cabelos bagunçados, o quarto dele, todo negro com inúmeros posters, uma TV de plasma. Na webcam eu conseguia ver o corpo dele inteiro acima do joelho. Ele estava tomando coca-cola e fumando um cigarro. Quando começamos a conversa, eu não tirava os olhos do pau dele, queria ver se ele estava se excitando.
Nós conversávamos, e eu mexia os pés, em sinal de descontração, de garota ingênua. Ele, ao contrário de mim, passava esporádicamente a mão por sobre a calça, massageando aquele pau gostoso que eu tinha chupado. O pênis já estava volumoso, revelando um colosso, tentando respirar… Ele passava a mão por cima da calça, mordia o lábio, passava a mão no corpo… Eu arrumei meu decote, agora dava pra ver um pouco dos meus mamilos, conversa gostosa. Delícia, eu já estava toda molhada, me segurando para não bater uma ali mesmo. Pati estava com uma câmera em mãos, me filmando e filmando a tela do meu computador, aquele gostoso se exibindo. Ele pediu para eu fazer alguma coisa, eu levantei-me, dei mais uns goles do pau na coxa, e fiquei de quatro, para a webcam. Com a mão direita, afastei um pouco o shorts e comecei e enfiei um dedinho na xaninha… Aah aah, aquela situação tinha me deixado ostra, eu de quatro pra cam, vestida de coelhinha e me masturbando, meus dedos todos melados, comecei a enfiar mais dois, aaahaahaahaahaah, voltei para a webcam, aproximei meu rosto da tela e chupei os meus dedos, simulando um sexo oral, minha boca molhada entre o meu néctar e minha saliva.
Quando eu olho pra cam, ele já estava completamente nú, e com um óleo em mãos, Tinha se lambuzado todo de óleo, e agora segurava o cacete, duro que nem aço, aquele mastro, aquele membro rigido, brilhante de tanto óleo. Fazia movimentos para cima e para baixo, bem devagar… Pedi para ele levantar, aproximar o pau da cam. Eu já estava com a mão na xaninha, estimulando o meu clítoris, gemendo bem baixinho para papai não acordar, vi aquele cabeçao bem de perto, pulsando de sangue, a minha vontade era de sair de casa agora mesmo e dar pra aquele gostoso. Mas outro dia íriamos foder, fato.
Até que o inesperado aconteceu, ele queria mais de mim. Tirei meu top mostrando meus seios durinhos e com a auréola rosada. Não, ele queria mais ainda. Queria que eu enfiasse algo na boceta. Pensei em pegar os vibradores, mas sei lá… Eu já estava possessa, na furia. Furiosas, furiosos. Fui até a cozinha, rápida como o the flash abri a geladeira e peguei o primeiro objeto que apareceu em minha frente: Um pepino.
Gente, eu sou vegetariana. Mas nunca tinha transado com um legume.
Quando voltei a cam, aquela rola ainda estava dura, ele batendo uma e com a outra mão fumando um cigarro. Abriu um sorriso enorme quando mostrei o pepino.
Peguei os meus KY’s amostra gratis. Lambuzei todo o pepino, e de cócoras fiquei de costas para a webcam. Eu sei que o meu “de trás” é fantástico. Posicionei o meu cuzinho em cima do pepino… Aaah doeu quando entrou a pontinha, que pepino grosso! E gelado! Foi entrando aos poucos, a borda do meu cuzinho contornando aquele pepino, eu de cócoras sentando devagar..Aaah aah aah que delícia, até que o pepino entrou enteiro, dei uma rápida olhada para a webcam com a melhor cara de safada que eu poderia fazer, comecei a levantar e sentar no pepino… Aquele legume entrando gostoso por dentro, alargando o meu cuzinho… Já coloquei a outra mão em minha pequena vulva rosada, eu já não estava mais de cócoras, estava meio que de quatro, batendo uma siririca e enfiando aquele pepino gostoso na boquinha do meu ânus… Eu queria mais, eu queria uma cenoura na boceta, uma banana na boca, e dois pepinos no cu…”

The Good Son

Sinopse: Mark Evans (Elijah Wood) é um garoto que vai morar com parentes quando perde a mãe. Lá ele descobre que Henry Evans (Macaulay Culkin), seu primo, tem uma índole extremamente má e até mesmo homicida. Mas como fazer os adultos acreditarem que uma criança possa ter uma índole tão perversa?

Download

chá de fita

GENTE O Q VOU FALAR AGORA É COISA SERIA.
NUNCA NESSA VIDA MEU DEUS NUNCA FAÇA UMA COISA HORROROSA Q É TOMA CHA DE FITA
ONTEM NÉ, TAVA EU AQUI SEM NADA PRA FASE NÉ, DAI EU PEGUEI UMAS FITA DE TERROR DO FREDI CRUGUER NÉ?? DAI EU ESQUENTEI A PANELE AGUA QUENTE BROBULANDO, DAI EU QUEBREI AS FITAS DO FREDI NÉ?? DAI JOGUEI TUDO NA AGUA
JOAO MARIA E JOSÉ!
DEIXEI AS FITA ESQUENTANDO NA PENALA DAI EU FUI E BEBI DPS DE MEIA HORA AQUELA COISA PRETA VISCOSA NÉ?? NOSSA MEU DEUS Q COISA HORROROSA TUDO COMEÇO A FICAR ESCURO DAI EU ESCUTEI UMA MUSQUINHA:

1, 2 FREDDY ESTÁ ATRAS DE VOCE
3,4 FREDDY ESTA NO ARMARIO
5,6 CRUCIFIXO OUTRA VEZ
7.8 NUNCA MAIS DURMA DE NOVO

EU ME CAGUEI TODA!!!

Ninfetas na Furia – Beleza Sulamericana (O Pai da Helena)

Fuck it.

Olá, meu nome é Nina. Conte me seus mais obscuros desejos e quiçá eu os realizarei.
Assim como posso ser a garota mais angelical que você vá conhecer, posso ser o seu mais pútrido prazer.
Olá meus leitores amados. Neste conto irei falar sobre a ótima oportunidade que tive de conhecer os parentes de helena, como eu já foi dito em “Ninfetas Na Furia – Prazeres de Lesbo” helena era/é uma ninfeta linda, com olhos verdes encantadores. Seu pai e seu irmão não estavam longe disso, muito pelo contrário. A beleza tinha caído naquela família justamente entre os homens. Mas antes de começar falando sobre este fatídico dia, gostaria de falar um pouco sobre o que eu penso à respeito desta modalidade de fodelança; pegar parente dos outros, ou quiçá, transar com os próprios parentes. Por que não?
Manolos, sexo é mais natural que escovar os dentes de manhã. Sexo é mais natural que tomar um suco após ingerir uma grande quantidade de comida. Sexo é BEM mais natural e mais saudável do que se masturbar. Então me respondam, pra que limitar as possibilidades de fazer sexo? Acho ridículo a bíblia falar que não podemos fazer sexo com parentes, aff. Eu acho sexo uma maneira de se dar carinho, por tanto se meu pai quisesse me dar carinho, eu aceitaria! Sim, eu faria sexo com meu pai! Por que não? Se eu tivesse um irmão, daria gostoso pra ele! Por que não? SEXO É VIDA. Se Deus existe, ele criou o sexo para sermos felizes, e amarmos uns aos outros. Então, não se reprima, ahehehe eu sou pró-vida, Nina pró-vida. Eu apoio o sexo de todas as maneiras, sexo lisérgico, sexo animal, sexo nostálgico. Sexo casual, sexo ocasional, sexo em lugares públicos. Sexo anoréxico, sexo consensual, por que não sexo surpresa? I DONT GIVE A FUCK I’M CRAZY!
Neste fatídico dia, estava eu em minha casa, assistindo um filminho com dois colegas. Nada demais, comendo uma pipoca, uma brincadeirinha debaixo do edredom.. Nada demais, afinal, eu não sou tão fissurada assim. Só um pouquinho… De leve. Até que o telefone toca, era helena, chorando. Odeio ver a minha melhor amiga chorar, e já esperei pelo pior:

“Nina pelo amor de Deus vem pra cá. Minha mãe escorregou na cozinha e abriu um rasgo na testa, ela desmaiou na hora. Hunf, eu não estou suportando ficar aqui com o Maicon e meu pai. Você acredita que meu pai deu risada? Até comprou uma pizza! Pelo amor de Deus vem pra cá Nina, huff, sniff”

Puta que pariu. O pai dela comprou uma pizza sendo que a mãe dela quase morreu? Que tipo de homem era aquele?
Eu iria descobrir que tipo de cara era aquele. Do tipo que não tira os olhos do peito da amiga da filha. Do tipo que fica de pau duro de propósito só para mostrar volume. Do tipo que fica encarando a amiga da filha enquanto ela chupa um sorvete. Que tipo de pervertido era o pai de Helena?
Essas suspeitas me deixaram.. Digamos que receosa. Pois se ele fazia isso com uma amiga da filha, o que ele faria com Helena? Me digam!
Mas irei contar em detalhes o desenrolar dos fatos. Prestem atenção.
No mesmo instante que recebi a ligação, literalmente expulsei os dois garotos que eu estava masturbando debaixo do edredom, e me arrumei rapidamente. Como estava mais ou menos frio, coloquei uma meia arrastão, uma botinha, e uma saia rodada que eu mesma tinha feito. Coloquei minha camisa do Ramones, prendi o cabelo, vesti uma calcinha-shorts verde, e um soutien de bolinhas, que eu simplesmente a-do-ro. Fui no quarto, fiz um chamego no papai, só um carinho na barriga de leve, depois pedi grana. Eu sei como fazer meu pai me dar dinheiro, e sinto que a cada dia que passa, ele me olha da maneira que olhava para mamãe antes dela falecer. FODASE, desde que ele não tentasse nada comigo, poderia admirar minha beleza, porém se ele chegar perto de mim, corto o pau dele que nem no filme “Menina Má”, falando nisso, assistam esse filme, parece até que foi feito pensando em mim.
Peguei o metrô, fui pra Zona Leste, credo, que bairro horroroso. O bom são os restaurantes, adoro os restaurantes e lanchonetes da região onde a loca da Helena mora. Helena é uma mina de atitude, mina doidona, eu que a iniciei. MANO, a mina era virgem, ainda era menor! Hoje faz chupeta, em troca de pó! SHE DOES NT GIVE A FUCK SHE IS CRAZY…
Eu amo a casa da Helena. Na verdade, sinto um pouco de medo. É aquele tipo de casa mais ou menos velha que mete medo saca? Sei lá gente, eu sou meio sensitiva, e senti que estava um clima estranho desde que cheguei… Toquei a campainha, nada. Bati, esmurrei a porta, nada. Liguei no celular de Helena, também nada. Affs, que merda.
Sentei próximo da casa, e esperei, de repente ela tinha saído… Mas não me agradava ficar por aquela região, sete horas da noite, de mini saia, e ninfeta como eu sou, poderia passar algum louco, me roubar, ou sei lá, coisa pior. O pior que minha mente é uma desgraça, pensei, e atrai. Veio andando de fato, um cara de longe, calça jeans, casaco preto, com capuz. Não era feio. Era ligeiramente familiar, alguma molécula do meu cérebro o reconhecia… Um cliente talvez? Desviei o olhar. Levantei, bati na porta de novo, nada. E a surpresa aconteceu, senti uma mão apertar minha nádega “Ai caralho!” exclamei olhando para trás, aff que porra era aquela? Olhei nos olhos dele e na mesma hora descobri, aqueles olhos eram de Helena! Ele falou: “O que quer em minha casa? És ladra é?” e deu um sorrisinho, me olhando dos pés a cabeça. Respondi, com o tom mais agressivo possível: “Eu sou amiga da Helena! Seu louco, apertou minha bunda, tá ficando louco?!”, quando terminei de falar isso, aquele sorriso malicioso foi substituído por um sorriso totalmente amarelo e sem graça. É, acho que ele tinha me confundido, e pediu desculpas, explicando que estava cansado dos nóias e prostitutas que apareciam na porta dele pedir abrigo e comida. Aceitei as desculpas, e perguntei onde estava Helena, ele explicou que ela tinha ido ao Hospital, pois a mãe estava em coma.
Eu não conseguia pensar em outra coisa, Helena deveria estar arrasada! Coma?! Alguém deu uma machadada nela ou ela caiu mesmo? Putz… Que triste! Porém se o pior acontecesse com ela, ela teria uma amiga que já passou por isso. A perda de minha mãe foi o evento mais triste de minha vida, e eu sei como é dificil aceitar isso.
Ele me chamou para entrar, bom… Hm… Nina, para de pensar merda.
Pensei novamente, Nina, para de pensar merda. Encare os fatos, esqueça seus traumas. Não é todo homem que quer te comer. Ele é pai da sua melhor amiga. Ele irá te respeitar.
Sabe manolos, eu tentava me convencer disso, mas sei lá. As pessoas são muito previsiveis, o comportamento humano é muito fácil de ser detectado. Só pelo fato dele apertar minha bunda, eu já sabia as intenções dele, eu conseguia sentir o cheiro de sexo saindo das moléculas do cérebro dele. Conseguia visualizar, ele me amordaçando com cadarços, me amarrando na cama, de braços e pernas abertos, em formato de X; conseguia visualizar aquele senhor de sorriso sádico me dominando peversamente, me fodendo que nem um coelho. Conseguia visualizar captar, e por um instante senti medo. E depois veio o prazer. Medo e prazer. Prazer e medo. Como eu já disse, os dois juntos formam a junção perfeita, são todos faces da mesma moeda.
“Aceita algo para beber? Café, chá? coca cola?” bom, ele estava sendo educado. Respondi vagamente, balbuciei um “Hm” mas minha mente estava concentrada em minha amiga Helena, no sofrimento que deveria estar passando.. Coma.. Que triste.
Sentei-me no sofá, ele foi até a cozinha, voltou com uma bebida vermelha, hm, estranho. Aceitei, dei um gole, era quentão. Aah, época de festa junina. Quentão forte da porra, parecia que tinha Vodka, sei lá. Ele foi até a porta e trancou.. Sentou-se do lado do sofá, e o mais inesperado, começou a chorar.
Não existe nada mais triste que um homem chorando. Começou a tocar em minha mente “The Cure” Boys dont cry.

“Não existia ninguém melhor que Joaquina. Eu a amei como nunca amei nenhuma mulher… Ela ficará para sempre em minha memória… Deus como pode SER TÃO CRUEL?”

Calma ai, sou puta mas não sou burra. Ele estava se referindo à esposa com verbos no passado? Mas ela estava viva! No mínimo curioso.
FIz minha parte, dei tapinhas em suas costas. Terminei meu copo, ele agradeceu pelos ‘tapinhas’, buscou mais um copo.
Liguei o celular, disquei o número de Helena, nada.
Ele voltou novamente, com a bebida vermelha, realmente estava gostosa aquela bebida… Ele pegou um CD e colocou no DVD, “Alceu Valença” WTF? “Alceu Valença”?!

Letra da música que vagamente me lembro:
“Água e Sol… Giragiragira gira gira gira Sol… No girasol do teu cabelo… Morena tropicana, eu quero teu calor”
Que bosta, som de nordestino. Nada contra nordestinos, claro que não… Aonde ele estava querendo chegar me dando quentão e colocando essa música estranha?
Mais lágrimas, aproximei-me dele, realmente tudo aquilo estava muito triste, eu estava num beco sem saída, QUE FAIL! Só que agora o atrevido encostou a cabeça em meus seios, e se acabou em lágrimas… Coloquei minha mão em sua nuca e fiz cafuné “Acalme-se… Ela vai sobreviver… Não chora..” ele abraçou meu corpo, entre soluços, lágrimas e desabafos.. Começou a falar que a vida sexual dele estava um asco, pediu desculpas por apertar minha bunda, que porra ele estava me acariciando, que cara carente. Eu sentia a barba do pai da Helena roçando em meus peitos, que agora estavam molhados. Nada melhor que uma barba de um homem roçando em mim, mas não naquela situação chata.. Emfim, ele estava totalmente desbruçado em mim, me acariciando e passando o rosto nos meus peitinhos… Devo confessar, estava gostoso.. TAMBOM, afastei aqueles pensamentos sórdidos, helena não merecia aquilo. Até que algo muito inesperado aconteceu, ele abaixou minha blusa decotada com a boca e começou a chupar meu mamilo esquerdo! QUE QUE ISSO? FREUD EXPLICA?
Aquela boca forte me chupando, parecia uma criança. Aquela barba sarrando, eu já estava toda arrepiada, e devido a bebida fiquei meio que.. Sem reação! Ele não estava mais chorando, mas estava alternando entre chupadas e mordidas de leve, eu nem percebi mas a minha saia já estava levantada! e a minha calcinha-shorts verde limão aparecendo, óbvio, tratei de abaixar a saia. Mas ele não deixou, segurou com uma mão e continuou me chupando. Meu deus, aonde aquilo iria parar?
Bom.. Vou falar de algo que me envergonho, e que até hoje Helena não sabe. Eu meio que facilitei as coisas, deixei ele levantar minha saia até a barriga, e meio que deitei-me no sofá. Ele já estava emcima de mim, mamando que nem um bebê… Eu acariciando a nuca dele, gemendo bem baixinho no ouvido dele… Olhei para as costas dele e a calça já estava arriada até a bunda. Que bundinha deliciosa o pai da helena tinha! E uma tatuagem. Um coração escrito “Amor de mãe” e uma flecha cruzada.
Por sobre minha calcinha senti o calor do pênis dele, que não era grande nem pequeno. Ideal para se divertir sem dor, mas não era bem exatamente a minha preferência. FODASE, deixei rolar, e ele estava sarrando o pênis por cima da calcinha, numa espécie de foda sem penetração, e tava uma delicia, pois parecia que ele não fodia faz tempo, estava duro que nem aço. E quente. Duro e quente. Quente e duro. Simplesmente fantárdigo! Não demorou e o néctar que saia da minha bocetinha já estava lubrificando o pau dele, mesmo de calcinha. Eu já estava chupando a orelha dele, e gemendo bem gostoso.. Daquele jeitinho, igual uma gatinha no cio. ele abaixou minha blusa também, revelando meus peitinhos rosinha… Que já estava durinhos, duas armas apontadas em direções opostas e paralelas… Eu estava adorando tudo aquilo, o vinho, a sensação de perigo, o prazer mórbido de estar sendo bolinada por um senhor viúvo! ou quase viúvo sei lá mano.
O pai de helena levantou, e tirou a camiseta. Agora percebi o que o trabalho de pedreiro faz com o abdomem de um macho! Ele era definido para um velho. Alguns pelos grisalhos no peito, aquele pau mediano apontado para cima, deixei ele fazer tudo. Não queria passar a impressão de putinha, queria passar a impressão de menininha que não sabe de nada.. Fechei os olhos e comecei a respirar de maneira ofegante. Em menos de vinte segundos ele estava totalmente nú, ajoelhou-se no chão, afastou minha calcinha pro lado e “endureceu” a língua, ô delicia. Parecia o pau do meu cachorro aquela língua, me penetrando, chupando meu grelhinho. Me inclinei e dei uma “chave de pernas” na cabeça dele, empurrando sua boca de maneira perfeita contra minha bocetinha, encaixando perfeitamente. Adoro ser chupada. Gosto mais do que fazer anal, mas do que fazer um vaginal acelerado, mais do que chupar uma rola. Ser chupada é tão gostoso.. EU AMO gente que sabe usar a boca, garotos que chupam bem sempre entram em primeiro lugar na minha lista mental de garotos. Ele enchia a boca de saliva, me deixando tão melada.. ahaah aaah ah ah ah, delícia, ele desceu a boca e começou a fazer o meu primeiro cunilingua, a lingua dele entrou no meu cuzinho, fazendo uma especie de penetração melada, eu amo a mucosa da língua… Ele chupava minha boceta e meu cu, deixando tudo melado, eu ia gosar na cara dele to nem ai, FODASE… Comecei a tremer, meus olhos virando, ele percebeu. Rápido como um lobo, enfiou a lingua na minha boca e começou a me beijar intensamente, eu senti o gosto da saliva dele, gosto de cigarro, e o gosto da minha xaninha, do meu cuzinho, uma delícia. Nós, de olhos fechados, ele me beijando por sobre o sofá, e tentando acertar o buraco da minha xaninha com aquela rola… Durante esta tentativa, ele penetrou a cabeça devagar diversas vezes no meu cu e na minha xaninha, acho que ele estava com medo de me deflorar. Coitado… Mas sabe ele que com a pouca idade que tenho, já fodi mais do que ele, a mulher dele, a Helena e o cachorro deles. Losers.
Dava para escutar o barulho de sucção da minha xaninha, implorando por rola, até que falei no ouvido dele “Me fode logo pai da Helena.. Me fode agora.. Seu gostoso.. Que delícia, me fode sem a helena saber vai..Me fode hoje a noite quando ela tiver dormindo.. Uhhhh delicia, isso… Vai.. continua.. mais fundo…” que pau quente meldels, parecia um ferro aquecido me penetrando, entra e sai, entra e sai, ele brincava com a cabeça do pau, fazia movimentos circulares… Adoro velho por isso, eles sabem o que fazem, não são precipitados… Até que ele transformou-se em um coelho, e começou a me foder tão rápido aah aah delícia, aahahahaaa aahaahahaha, “mais rápido mais mais mais goza nela vai, goza na Jiglypuff vai, goza goza, isso aa a a a a a a a” Mano, ele ficou me fodendo rápido por tanto tempo, que quando ele tirou o pau, a minha boceta estava parecendo um mamão partido ao meio, eu tava toda assada, suada, ele suado, ofegante. Em um movimento simples, ele me levantou que nem uma boneca, me segurando igual um príncipe faz com uma princesa. Nos dois braços, levou-me ao quarto de helena. Quarto rosa, lotado de posters do McFly e do Avengéd SevenCloud. Um violão, e em cima da cama, um urso, rosa, enorme. Me jogou de bruços na cama, até que implorei:

“Pai da helena, AMARRA-ME!”

Quando este texto tiver 500 leituras, posto a segunda parte.

V I S C E R A M I R R O R

(nomes e localizações foram modificados para preservar a identidade de cada um)

Fuck it.

Olá meu nome é Nina. Conte me seus mais obscuros desejos e quiçá eu os realizarei.
Assim como posso ser a garota mais magnífica que vá conhecer, posso ser o seu mais sórdido prazer.
Antes de tudo quero dizer que este conto será redigido por mim, porém todas as palavras são do.. “Mister M” (ele quis usar pseudônimo, segundo ele usar o nome real é “sujeira”) Todas as expressões, detalhes, lembretes e observações serão feitas por ELE. Não irei mudar nada. Ele irá narrar a primeira vez que nós fodemos gostoso, e permita-me dizer, foi muito bom e cômico.
Vamos lá.

“YOYO MOTHERFUCKA, quem está falando aqui é o Mister M. Antes de mais nada, caso eu venha participar aqui de novo, saibam que sou um cara alto, cabelos lisos, e já me disseram que eu era bonito. Velho, vocês tem que saber disso, sou ateu. Então, se for evangélico ou católico, sai daqui mano, por que este conto não fala de Deus a cada paragrafo, como da nossa amada ninfeta Nina. Eu sou insolente, sarcástico, maldoso. Poderia dizer que sou um verdadeiro palhaço, no pior e no melhor sentido; não existem barreiras para o humor. Se você vier me dizer que a sua mãe foi encontrada em um canavial, sem cabeça e com um útero amassado, eu darei risada e perguntarei: “Acharam a cabeça pelo menos? ” rs
Nesta estórinha vou contar como eu conheci a Nina. Menina porreta, louca. Sem palavras, novinha firmeza, muito mais firmeza que muita mina por aí que se diz de “santa”; muita gente critica, xinga, INVEJA. Se a nina não fosse minha parceira de foda, eu queria que ela fosse minha irmã pra sair de rolê comigo, ela é uma mina de rolê, não é pilantra e sempre fala a verdade, putz, vou parar por aqui se não vocês vão pensar que estou apaixonado por ela mas não é verdade, Nós somos amigos (sim, existe amizade homem com mulher) porém para saciar nossas vontades, sempre dô um pulo no prédio dela para dar uma umazinhas, ou váriaaaas rs, como ela sempre diz: “I DONT GIVE A FUCK I’M CRAZY”
Vamos voltar na história, voltar no tempo pra aquele dia. Existe um evento aqui em Sâo Paulo chamado verdurada, onde o intuito é apoiar a causa vegetariana, e diversas bandas punks, hardcore, deathcore, metalcore (totalmente underground) reunem-se para protestar, seja em som, seja na distruição de bottons, patches, seja em um jantar vegetariano… Eu sempre vou, gosto da cena hardcore de São Paulo. E sempre chapo o coco antes, bebo pra caralho mesmo to nem vendo CACHAÇAA CARAAÍI neste dia fui até o mercado com mais três amigos, Joe e Kurt, moleques firmeza, doidões. Tava sem grana eu ia comprar uma coca cola e uma garrafa de pinga mesmo, o famoso “mata-rato”, entrei no mercado, os moleques ficaram de fora, passei pelos corredores, procurando o corredor “13” (olha o número!), até que cheguei no corredor de bebidas.
O que eu vi… Marcou para sempre minha vida, talvez por que nunca tinha visto uma garota roubar três garrafas de vodka na bolsa. Ou talvez por que nunca tinha visto um corpo tão bem desenhado, ou traços tão delicados como o dela, bundinha perfeita, redondinha, durinha. Peitinho perfeitos também, biquinho aparecendo por cima da blusinha. Ela estava com cabelos soltos, uma blusa com um decote em V enorme. Seu shorts, que shorts? Era uma jeans surrada cortada na altura da virilha (sério, dava pra ver o contorno perfeito da bocetinha dela) e um all star vermelho, delícia. Mas o que mais me surpreendeu foram os malditos olhos dessa garota… Nada pode explicar olhos que quando não estão brilhando, revela uma alma obscura, demoníaca. A pernonificação da maldade, em seus olhos estão os mortos da segunda guerra mundial. Em seus olhos estão crimes hediondos cometidos em inferninhos do centro de São Paulo. Em seus olhos estão dilacerações da carne, fetos abortados. Em seus olhos estão senhoras de sessenta anos no Egito se prostituindo por cabeças de ratos e múmias roubadas das criptas. Ela tinha os olhos de alguém que não conhecia o amor faz tempo.

Ela tinha os olhos do Mal.

Não vou entrar em detalhes sobre como eu a conheci, sobre o que aconteceu no mercado, mas posso dizer que em menos de dez minutos fomos ao banheiro do mercado, banheiro de aleijados, e Nina engoliu e acariciou com sua boca uma parte do meu corpo, e em troca eu dei um pouco de açucar para ela. Ponto. Quem for inteligente já entendeu.
Mano, esse dia foi especial para mim. Os meus amigos que estavam foram do mercado adoraram a Nina, putz, uma garota foda, uma garota legal. Sozinha roubando garrafas de vodka, agente bebeu uma e guardamos o resto… Esse dia era um sábado, e estes meus amigos moravam sozinho. O show foi perfeito, e é óbvio, aquela louca da Nina entrou no bate cabeça com agente e tirou sangue de um. Menina porreta. Menina furiosa. Menina na fúria.
Eram umas sete horas quando o show terminou… Sentamos na estação de metro, todos bêbados e ficamos conversando.. Era íncrivel como aquela ninfeta era comunicativa e conseguia conversar com qualquer um, apesar de ser nova, era comunicativa e linda. Linda e comunicativa. Comunicativa e linda. Até que soltei uma, pra ver se ela mordia a isca “Então Nina… Agente ia pra casa do Joe hoje… Você sabe né.. Ainda tenho bastante açucar aqui, tem mais uma garrafa… Lá tem um studio agente fica bebendo, você pode tocar bastante lá se quiser!” Mano, com ela não precisa nem soltar indireta. Na mesma hora ela respondeu, lembro até hoje:

“VOCÊS SÃO LERDOS HEIN ? PENSEI QUE NUNCA IRIA CONVIDAR. MAS ANTES PASSA NA FARMÁCIA E PEDE KY. TÁ ESCUTANDO PORPETÃO?”

rs, raxo o bico lembrando isso. E realmente ela foi esperta, pediu logo um KY, aquela noite foi.. Simplesmente… Inovadora para mim, pois eu nunca tinha penetrado uma garota por trás antes, e ela meio que “tirou” minha virgindade saca? E comer um cuzinho é tão gostoso, que sempre peço pra ela, quando ela tá de bom humor deixa, e olha, ela gosta mais do que lasanha. Mas não vai pensando que ela é uma arrombada não, pois o cuzinho dela continua perfeito, cheiroso e apertadinho, só lambuzar tudo com muito KY e colocar o pau devagar, primeiro deixar ela de quatro… Do jeito que ela gosta, que nem uma cadelinha. Ela faz sexo parecer muito mais que sexo entendem? É engraçado foder com ela, são momentos únicos, ela imita animais, geme bem gostoso, e a mais pura verdade é: ELa É uma puta, mas nunca foi nem será vulgar. É puta mas não desce do salto.

Bom gente, chega a parte da história que é porreta. A fodelança iria começar, mas antes um pedido muito estranho veio de Nina… Ela estava doida por causa do açucar, e mais doida ainda por causa da Vodka Balalaika que nós bebericamos. Nós nunca iremos entender essa garota, a mente pervertida daquela garota. Mas o que ela disse deixou nós três com a boca do cu na mão; “Eu só dô pra vocês se daqui a vinte minutos os três estiverem fantasiados. A partir de agora, já!” MANO DO CÉU imagine só meu desespero em achar algo na casa dos moleque?? E o desespero deles? Foi comédia. Os três bebados procurando tudo. Só sei que o joe foi esperto, entrou no banheiro, pegou dois rolos de papel higiênico e se enrolou que nem uma múmia, mas mano, ele era meio gordinho então imagina a cena! rs só deixou o pau balançando pra fora e se cobriu… Foi num desespero pra comer a mina.. Acho que ele nunca ia comer uma bocetinha rosinha de uma ninfeta como a Nina, ele deve se masturbar pensando nela até hoje, aquele doente. O outro foi na cozinha pegou um saco preto de lixo, tirou a roupa, se vestiu e fez um buraco pra deixar o pau pra fora. Na cabeça ele partiu uma melancia, rs, numa velocidade mano, vocês tinham que ver. Ficou ridiculo. Aah lembrei, ele ainda pegou pasta de dente e escreveu no saco de lixo preto: “Super Homem Melancia” que LI-XO! kkkkkkkk

É, chegou a minha bendita vez. Os dois foram correndo pra sala, e encontraram a Nina (de onde Diabos ela tirou aquilo?) só de calcinha, com um pompom branco na bunda, e na cabeça uma tiara com duas orelhas de coelhinha. Sò de pensar meu pau já fica duro que nem pedra, e ela não usa nem fodendo comigo a fantasia. É um ritual dela, quando ela dá pra três ao mesmo tempo, veste a fantasia de coelhinha. Uma pena, realmente uma pena.
Os dois pararam na frente dela (pelo jeito ela aprovou as fantasias) e já estavam com pau em riste, na cara dela. Ela não demorou, começou a mamar gostoso na rola de um, e com a outra mão batia uma. De vez em quando alternava as chupadas, colocava os dois ao mesmo tempo, nossa, aquela menina era a verdade ninfeta-polvo! Mas eu não podia ficar parado! Faltavam dez minutos e porra, eu não ia foder! Logo eu, que arrastei ela, mas pelo menos ela já tinha chupado meu pau no mercado, então pelo menos uma coisa já tinha feito. Subi correndo a escada e fui pra aonde? Pro sótão. Só eu, babacão pra ir pro sótão, tanto lugar para ir
O pior gente, é que a minha salvação (e meu mico, não, mico não, donkey kong) estava lá em cima. Eu vi de longe, uma cabeça estranha no chão, e percebi que era uma mascara. Na hora que puxei a cabeça, veio junto uma fantasia alaranjada, com uma réplica de fogo no rabo, era tipo um réptil mano, sei lá.
Mano aonde eu já tinha visto aquilo? Poke.. Pokemon! rsrsrs aquilo era uma fantasia do pokemon, que porra! Não pensei duas vezes vesti que nem um ninja, ufa tem ziper, já abri o ziper, dei uma punhetada voando que nem The Flash, deixei duro e sai correndo pela casa, vestido de pokemon, com o pau duro balançando, rs
Os dois já estavam tudo no esquema, mas na hora que cheguei na sala.. Aquela doida começou a raxar o bico: “CHARMANDER! AAAAHAHAHAHAHAHA CHARMANDER” e realmente eu estava ridículo. Mas por algum motivo parece que ela adorou, pois começou a chupar com mais volúpia o cacete dos caras, o Joe falou: “Iiihhh fogo no rabo?” eu era um Charmander de pau duro, pronto para comer uma ninfeta cadela. Que bizarro. Que doentio. Que bizarro e doentio.

Nossa os cara era ligeiro mesmo, já tinham deitado ela no sofá, enquanto ela chupava um, o outro já estava chupando a Jiglypuff dela, aquela bocetinha molhada, e ela chupando e gemendo que nem uma gatinha no cio… Gritava, gemia, e eu batendo uma de leve… O cara já foi metendo, uma delícia aquela novinha chupando com os peitinhos balançando, gemendo que nem louca. Mas por que eu estava parado e não estava ali? Que porra. Decidi esperar, tomei uma doce de vodka, e comi 1 grama de açucar. Sim, um grama. Fiquei doido. Maluco. PORRA LEMBREI DE UMA COISA QUE COMPREI

FOI NESTE MOMENTO, LOUCO, ACELERADO, COM A RESPIRAÇÃO A MIL PARECIA O JASPION, LEMBREI DO KY

Sei lá cara… Acho que saiu até uma lágrima, peguei o KY não pensei duas vezes, deixei meu pau brilhando, lotei de KY. “Mano vocês tão ai faz meia hora, me dá licença agora!” Passou mais dois minutos os dois, OS DOIS gozaram ao mesmo tempo nela, na cara, na barriga, no peito, na boceta… E ela parecia que amava aquilo (depois ela ia me dizer que faz bem pra ele e cura depressão) mas antes pedi um favor pro mais forte dos meus amigos.. Prestem atenção para entender a posição. Pedi que ele fosse para trás dela, os dois em pé, e que ele levantasse ela segurando nos braços. Eu, estava na frente, abri as duas pernas dela, e ela equilibrada no ar, sendo levantada por trás pelo brother, posição perfeita, dava pra ver a xaninha dela toda arreganhada, assada. Esfolada. Mas o que eu queria era aquilo que estava piscando ali… Bem gostosinho… Aquele cusinho estava me chamando “Mister M me arromba”, sério o cuzinho dela piscava, tão lindo, aquele buraquinho rosinha, enchi de KY, e com dois dedos comecei a preparar… Ela gemia… Gritava… Cuzinho quentindo, apertadinho. Preparei o meu cacetão, fui colocando a cabecinha.. Nossa, parecia que ia explodir meu pau, ela era muito apertadinha… Quentinha, vi que desceu uma lágrima dos olhos dela, acho que estava doendo. Eu estou pouco me lixando. Comecei a enfiar mais, puta que pariu muito gostoso, eu senti perfeitamente a curva que o canal anal dela fazia… Estava faltando mais sete centímetros do meu pau dentro dela.. Será que ela ia aguentar? Ela estava entre gemidos de prazer e dor. Eu estava doido. MALUCO. Completamente alterado por causa do açucar e da Vodka. Agora estava difícil a entrada do meu cacete, embora tenha deslizado que era uma beleza. KY é muito bom, é perfeito. Mas dei uma estocada forte e PIMBA! EU LITERALMENTE ESTAVA DENTRO DELA, delicia, 17 cm do meu pau dentro daquela ninfeta, com as pernas tremendo, era lindo, as duas perninhas tremendo com um pau na bunda, não pensei duas vezes, comecei a foder ela cada vez mais rápido, os gritinhos dela eram mais ou menos assim: “A A A A A A A A A A A A A” os peitinhos balançando, o meu caralho invadindo aquele cuzinho apertado, ficando cada vez mais quente, o KY aquece, delicia, agora ela nem sentia mais dor, começou a gritar (ps: duas da manhã) “Fode esse cú… Enfia gostoso… Quero que você goze dentro de mim.. Hmm que caralho gostoso… Me deixa toda aberta.. Enfia fundo.. Hmm que delícia aah aha ah ahaah aaah não aguentei, enchi o cu dela de porra, gozei litros, a porra escorria pelo cu dela e caia no chão, e ela toda aberta, de pernas pro ar, e meu amigo segurando ela por trás… A cena mais engraçada, foi quando ela soltou um leve peido, e a porra saiu do cu dela igualzinho à teia do Spider Man”

Agradecimentos especiais ao Mister M, que cedeu suas memórias para escrever este conto.

Ninfetas na Furia – I Wanna Taste my Ass/Bitch Slaps

Olá. Meu nome é Nina. Conte-me seus desejos podres, como uma cadela eu os realizarei.
Assim como posso ser a garota mais angelical que você vá conhecer, posso ser o seu mais sórdido prazer.

Olá meus leitores. Neste conto irei falar sobre figurinhas repetidas. Eu amo colecionar figuras, porém as vezes uma figura repetida não faz mal, é bom. Já tive homens de todas as cores, de todas as idades, de todos sabores. Mas nenhum deles me fez gozar como o meu primeiro amor, Bill Smith. Nome estranho né? Mas é apenas um nome, eu tive a sorte de ter tudo que uma garota precisa em um primeiro amor, beleza, respeito, charme. Ele era um garoto talentoso, deve ser até hoje. Era um “biker”, andava muito de bicicleta, aliás, ele que me ensinou a pedalar, antes eu não conseguia nem manter-me em pé durante dez segundos em cima de uma.
Mas como todos os amores da vida, um dia acabou. Ele terminou comigo alegando que não gostava de mim de verdade.. Aa, foi triste. Mas não vou mentir, eu errei feio, eu o traí com seu irmão, e o pior de tudo, fiz de propósito. FODASE, I DONT GIVE A FUCK I’M CRAZY!
Lembro até hoje, eu tinha ido jantar com a família de Bill. Família espanhola, amantes de um bom vinho. Não fiquei de fora, beberiquei horrores, eu, os pais de Bill e seu irmão mais velho. Resolvi ir ao banheiro.. Até que vi o irmão mais velho do meu namorado da época mijando, mas putz, era uma cobra! Parecia uma cobra vomitando água, era enorme, tipo, mole tinha uns 17 cm. Imaginem, eu, Nina. Uma garota Na Furia, iria deixar passar batido? Tranquei a porta do banheiro e limpei o caralho dele com a língua, limpei mesmo. Óbvio, Bill sentiu o cheiro da rola ao me beijar, eu tinha me esquecido dos tridents que levo na bolsa.
Mas essa história não é sobre o irmão do Bill. É sobre o Bill. Depois de dois anos nos encontramos, em uma boate na rua Augusta.
Por um lado foi ótimo, gostoso, gozei duas vezes, bem gostosinho. Gemi que nem uma cadelinha no cio.
Por outro lado… Senti o gosto de sua… Digamos que vingança. Ele me fodeu forte, like an animal. E o melhor de tudo, depois fez algo que eu até hoje gosto muito, e sempre peço para quem me foder fazer igualzinho ao meu primeiro amor… Saudades.

Vamos lá.

Rua Augusta, “Inferno”, 3:15 da manhã.

“Inferno é uma boate com som underground, ambiente escuro e muito, muito abafado. No época dourada da Inferno, existiam as famosas Dark Rooms, “Capeta”, onde abajures vermelhos iluminavam o ambiente. Diversos sofás eram distribuídos ao redor do ambiente, onde a putaria rolava solta, delícia. Era fenomenal, dava para fazer de tudo. Na entrada distribuiam amostras grátis de camisinhas de sabores, amostra grátis de KY. Delícia, se tem algo que amo é um bom KY, um ótimo lubrificante, feito especialmente para comer bundas. Leitora ou leitor, salve seu casamento, seu namoro. Dê bundas, não esqueça do lubrificante. Todo homem gosta de comer um cu, é uma sensação de poder inigualável. E todo homem quer se sentir no poder, é uma necessidade biológica, chegando ao cume da perversão. Não é a toa que a Bíblia condena Sodoma e Gomorra, nosso Pai do Céu destruiu os sodomitas, porém conosco ele foi mais peverso. Criou o bicho da SIDA, que mata milhares de veados e promíscuas
FODASE eu nem faço exame de sangue por isso. É tanta porra que já engoli e que já foi despejada em meus oríficios, que acho que devo ter mais de vinte combinações de vírus da AIDS no meu corpo, I DONT GIVE A FUCK I’M CRAZY
Neste dia estava eu e um grupo de amigos homens, Bianca não quis sair, muito menos Patricia. Cristina então? RÃÃÃM, nem pensar, se quiserem que eu conte essa daí é loca, tem o cabelo verde e vários piercings, mas depois eu falo dela. Ela é traficante oras, e passamos por uma juntas… Depois eu conto. helena estava no hospital, com dengue. Porpeta doida, eu avisei para ela não ficar de bobeira no mato em capivari, no interior, em minha casa na praia. Mas ela “Não, quero zoar” e foi pro matel. Não deu outra, pegou dengue, e se morrer eu vou pixar no túmulo dela: “Bem feito! Ha-ha” ahehehehe brincadeira helenita, zuera
Mas sei lá… Eles pareciam ser gays. Fui no banheiro com dois, vocês acreditam que o pau deles nem subiu direito? Depois deram a desculpa de que tinham bebido. Bullshit, quem bebe fica de pau duro que nem aço. Fiquei que nem uma palhaça com pau mole na boca, parecia uma chupeta.
Até que voltando ào baile, rolando um Psychobilly, percebi um olhar que não via a séculos. Nem demorou, reconheci o meu primeiro amor, Bill. Continuava o mesmo, com seus olhos verdes, cabeça raspada, piercing no nariz. Lindo. O mais íncrivel é que nestes momentos, as pessoas são atraídas, igual imã. Magnetismo is truth.
“Eai? tudo bem?” Nós dois, de sorriso amarelo. Muito sem graça isso, parecia que a lembrança estava nítida, de quando chupei o pau do irmão dele com sua família na sala. Que bosta.
Bom, eu não sou uma pobreta metida. Tenho classe, portanto fiz questão de pagar Whisky com RedBull, bebida de bandida. Aí o papo começou a ficar melhor, saiu até uma lágrima.
Foi aí que percebi o por que que gostei tanto dele. Na mesma hora, sem esperar, ele foi me arrastando aos poucos para a DarkRoom “Capeta”, e antes de entrar pegou um preservativo e KY. Safado, nem perguntou e já sabia que ia me foder heheheehe FODASE eu ia dar pra ele mesmo, ia dar gostoso, aquelas luzes vermelhas gritou pra pomba gira que anda do meu lado, na mesma hora ela desceu na sala e eu incorporei. Sala escura, quase escorrei numa poça de goza que estava no chão. Credo, mas tinha muito gozo mesmo, meu pé grudava, parecia que tinha lama no chão. Fiquei com nojo de sentar em algum lugar, mas por sorte tinha um encosto na parede, Bill encostou na parede e de começo nos beijamos bem gostoso, lembrei daquele beijo quente e carinhoso ao mesmo tempo, aquela língua que explorava todos os cantos que me excitava, não passou um minuto ele já tinha caido de boca nos meus peitos, com volúpia, daquele jeitinho, ele não mudou nada. Já senti no meio das minhas coxas aquela rola que eu sentia tanta falta, meu deus que saudade, ele chupando meus peitinhos eu batendo gostoso uma punheta pra ele, aah aaah ahaa aahahahah que delícia, me chupa Bill, me come, me fode, faz tudo comigo, comecei a falar bem pertinho do ouvido dele, percebi que ele se arrepiou na hora. Eu amo ser arrepiada por ele, AMO quando ele se arrepiava. Delícia. Eu ia começar a chupar, me ajoelhei, quando encostei a língua ele me puxou de volta pelo cabelo dizendo “Não não não”, Deu a camisinha na minha mão e falou: “Coloca com a boca, sua vagabunda” Epa, calma lá! Vagabunda também não amor, me trata com carinho, aah aah, pau gostoso, cheiro gostoso, adoro cheiro de rola, pra mim homem não tem que lavar o pau. Tem que deixar o cheirinho de sebo, me excita. Coloquei a camisinha na cabeça, e com a boca fui envolvendo seu pênis, bem gostoso, quando terminei ele me levantou de novo, agora ele estava em pé, encostado na parede, levantou minha saia até a barriga, abaixou minha meia arrastão. Delícia, abaixou minha calcinha, gostoso. Me virou de costas, mas antes lambuzou meu cuzinho bem gostoso… Com muito KY, que tesão, ele masturbava meu cu, e o KY esquentando, EU AGORA ERA NINA, NINA CHARMANDER!
Sério, KY é TAMBOM… Estranho, ele não tinha metido o pau ainda, porém estava enfiando um…Dois.. Três dedos.. QUATRO?! Sério, quatro dedos no meu cu, eu gosto de fazer anal, mas não sou tão arrombada assim, quando ele ia colocar o quinto, não deixei. Meu cu estava em chamas, INGUAL o Charmander, fogo no rabo. De costas, eu segurei o pau dele, dei uma agachada, enfiei a cabeça no meu cuzinho, eu estava de quatro, porém em pé. Entenderam? As duas pernas esticadas, e os dois braços esticados, posição perfeita. Na hora que a cabeça encostou na boca do meu cú, deslizou perfeito, TU-DO, eu o contorno da glande dele massageando minhas paredes anais… Eu estava três dias sem comer, e tinha tomado Actvia, pra dar o cu sem passar vergonha. “Me fode Bill, come esse cuzinho, faz estrago nele vai, goza dentro de mim, fode, fode, Se vinga de mim arrombando sua putinha vai” o som era rápido, do ambiente. E ele me fodia na mesma velocidade, dando tapas em minha bunda, fodase eu nem sentia mais a dor, aah aah aaaah me fode, me fode, tambom, ai ele me levantou né, do chão, levantou minha blusa (o cacete continuava no meu cu) as mãos em meus peitos, apertando forte, enfiando a unha em minha pele, mordeu meu pescoço com força e começou a foder com mais volúpia agora, cada estocada era uma prega minha que era apagada, eu sentia aquela rola adentrando minhas visceras, tava doendo mas tava tambom.. Tão quentinho, tão melado, meu edi em chamas, eu sentia que ele não queria ter prazer, ele queria me machucar. Comecei a me certificar disto a partir do instante em que ele já estava rasgando a pele do meu peito, enquanto arregaçava meu ânus, enquanto me rasgava. Já não era mais um pênis que estava em mim, parecia uma espada. Estava sangrando, estava tudo melado, eu já não sabia se era porra ou sangue ou carne do meu cu, mas tava difícil viu.. Vai tomar no cu.. Ops, era eu que estava tomando. Até que aquele lazarento fez o menos esperado, me empurrou, depois puxou meu cabelo em direção ao seu pau, ele estava me obrigando a chupar aquele cassete depois de ter enfiado no meu cu?
“Chupa sua vagabunda. E eu quero que você repita: “I wanna taste my ass””
Ele puxava meu cabelo com força, e esse foi o primeiro motivo para eu derramar as primeiras lágrimas. Sobre o sexo anal, eu pouco ligava, mas não puxa meu cabelo, são delicados e qualquer coisinha dói pra cacete. “I wanna taste my ass?” Pensei, assustada. Fodase já tava lá mesmo, e eu devia favores a ele, coitado. O trai com seu irmão I DONT GIVE A FUCK I’M CRAZY cai de boca mesmo. E eu estava certa, era porra com sangue, e tinha pequenos pedaços de milho. O milho AINDA tinha o mesmo gosto, hilário isso. Eu mamava aquela rola, e de 2 em 2 minutos ele me levantava, e pedia para eu repetir a frase: “I wanna taste my ass”, eu já estava repetindo a frase que nem uma vitrola quebrada, lágrimas saiam dos meus olhos, eu não estava gostando da situação.

Até que o pior aconteceu.

Bill deu um tapa, forte mas carinhoso ao mesmo tempo. É engraçado como nestes momentos não vemos nada, e literalmente vemos “estrelas” o gosto de sangue espalhou-se pela minha boca, eu sabia que ele não tinha feito isso de propósito. Gosto de ferro encheu minha boca. Não demorou nem dez segundos ele deu o segundo tapa, acertou em cheio, e a marca dos cinco dedos marcaram minha boxexa. Este acertou em cheio , gente não vou mentir, os tapas me excitaram. Ele nunca tinha sido másculo dessa maneira, agora ele fez eu ficar na posição mais humilhante (ficar de quatro e em pé ao mesmo tempo) só que segurando meus cabelos com força, metendo no cu e segurando meu cabelo, eu já nem sentia dor no cu…
FODASE meu esfincter já estava em chamas, eu era a Nina Charmander, I DONT GIVE A FUCK I’M CRAZY
” I wanna taste my ass. I wanna taste my ass. I wanna taste my ass ” Repeti por meia hora, entre chupadas e marteladas no meu rectum.
Pediu pra eu ajoelhar no chão, senti meu joelho pegajoso de tanta porra, até que ele fez uma das melhores maneiras de chupar um cassete: “Face Fuck” colocou uma mão em cada lado da minha face, e começou a meter até o fundo da minha garganta, ele dava uma parada… Levava o pênis até deixar a cabeça nos meus lábios… Dava dando tapas em minha cara, que já estava em chamas, assim como meu buraquinho Eu comecei a assimilar prazer e dor, e até hoje eu IMPLORO para receber uns socos e tapas. De leve, claro.
Ele ficou dez minutos enfiando no vai e vem na minha boca… Eu não aguentava mais até que ele forçou meu rosto contra seu pau, enfiando a cabeça até as paredes da minha boca, ele queria fazer um buraco na minha boxexa? Minhas boxexas são enormes. Até lata de refrigerante cabe. Até que senti aquele pau começar a latejar, ele tirou de minha boca, e ejaculou litros em meu rosto, em uma mistura de sangue, porra, fezes e milhos…”

Fim.

Espero que tenham apreciado. Lição de hoje? Fodam o cu de seus parceiros, use a força para apimentar a relação. Toda mulher gosta de apanhar, apenas cabe a você saber fazer isso de maneira que ela goze ao mesmo tempo. Nesse caso a Maria da Penha não te prejudica, e podes salvar teu casamento.
De preferência, dê tapas, que não deixam hematomas. Chutes e socos apenas na coxa e na sola do pé. Usem cera de vela, que machuca por um segundo apenas. Use cigarros acesos, agulha entre a unha e a pele.

Na linguagem do prazer não existem limites. Sex and Violence.

Fuck it.

Olá. Meu nome é Nina. Conte me seus mais obscuros desejos e quiçá eu os realizarei.
Assim como posso ser a garota mais magnífica e angelical que você vá conhecer, posso ser o seu mais sórdido e pútrido prazer.

Desde o início dos tempos a porra do ser humano só procura prazer. Para ser sincera, acho que o ser humano SÓ deseja prazer, e evita a dor. Basicamente é isso, estudamos, trabalhamos, enriquecemos pra que? Pra foder. Isso mesmo, F-O-D-E-R! O objetivo da merda da raça humana é um só, procriar, não tem outro motivo. Nossas vidas são vazias, obscuras, repletas de maldade e crueldade. Mas no final tudo acaba no bom e velho entra-e-sai, no final tudo acaba em uma explosão de porra na cara daquela prostituta que vai fumar pedras de crack com sua parceira. No final é o pai de família que espera chegar sexta feira, seus filhos sairem para poder foder com sua esposa velha e gorda, e em menos de cinco minutos ejacular na vagina frouxa e pelancuda da patroa. Porém durante a semana procura jovens lindas como eu em shoppings para satisfazer seus mais mórbidos fetiches, e paga cinquenta reais, para uma ninfeta como eu, gastar com bebidas e crack… para depois… FODER!
Entenderam isso meus leitores? Viemos ao mundo para foder. Fodam com o vizinho, fodam com suas ficantes, foda com sua ex. Foda com seu a porra do seu cachorro, foda com seu pai, quiçá com sua mãe. Por que não com seus irmãos? Faça que nem eu, I DONT GIVE A FUCK IM CRAZY!
Olha gente, nesta história vou falar da minha primeira experiência lésbica. Nunca imaginei que eu poderia me satisfazer tanto sem penetração, e olha que eu amo um caralho, amo ser fodida, amo me sentir to-da assada. Eu não sei bem o que aconteceu, talvez a bebida tenha melhorado as circunstâncias, talvez a língua felina daquela garota faça milagres… Mas não importando o que seja, este meu conto é destinado à todos os homens que gostam de lésbicas, e para todas as lésbicas que gostam de uma ninfeta safada heterosexual descobrindo os mistérios do homossexualismo. Delícia.
Nada contra homossexuais, odeio preconceito. Pra falar a verdade, um dos melhores orgasmos que tive foi graças a um homossexual, ele era feio mel deus, mas ele me chupou de uma maneira, ele mordia, chupava, cuspia, fazia movimentos circulares em torno do meu grelinho, me dedava, chupava meu peito e voltava pro grelinho… Pra vocês terem idéia, eu deixei um arranhão enorme no pescoço dele na hora de gozar. Ô viado bom de boca viu?
Bom, vamos voltar ao fatídico dia.
Férias chuvosas. Argh, que nojo, internet chata, clima estranho em casa, meu pai estava doente, recolhido no quarto com ínumeros filmes, ele estava a dois dias assistindo filmes e comendo pipocas, sério, estava dando dó. Febre é a pior coisa que existe, só de ficar no quarto a pessoa já sentia o calor, ele deveria estar com uns 40°! De qualquer maneira eu não poderia ficar o tempo todo com ele. A chuva estava limpando a cidade de São Paulo, que tinha adquirido um tom cinzento muito depressivo. Estava chovendo canivetes mesmo, como dizem por aí. Patrícia estava um porre, aff já faziam três dias que estavamos juntas, sem sairmos, e essa convivência sempre estraga uma relação de irmãs. Três dias juntas, e três dias que ela não me dava o beijo estalado. Acho que não contei do beijo estalado. Antes de minha mãe falecer, TODO dia para acordar-me para ir à escola, mamãe costumava dar um beijo bem meigo, molhado, carinhoso e principalmente estalado em minha face. O barulho do estalo do beijo já tinha condicionado a minha mente para acordar, e eu sempre acordava feliz. Depois da morte de minha mãe, Patricia recebeu a incubência de realizar esse beijo, todas as manhãs… Carinho de irmã mais velha substitui o amor de mãe SIM.
Neste dia chuvoso, uma quarta feira de férias, decidimos fazer algo diferente, e resolvemos dar uma festa do pijama em nossos quartos. Papis estava em casa, mas isso não mudava muita coisa, pois estava doente. Não podíamos sair, então o certo seria dar uma pequena festinha para as bests, chamei Bianca e helena. Bianca, apesar de não ser exatamente uma amiga (porém era uma grande colega!), era uma guria de 1,70, cabelos não exatamente loiros, amarelados, um pouquinho acima do peso, porém nada que comprometa a nossa popularidade. Se tinha algo que eu invejava além do dinheiro dela eram os seios dela. Enormes melões, que inclusive, ela sempre reclamava, pois atrapalhava na hora de dormir, e blá blá blá. Sério, eram enormes. Além disso, era uma pseudo-loirinha com um lindo sorriso, e o melhor de tudo: Sempre bancava alguma coisa para mim, e não pedia nada em troca. AMO pessoas que me dão presentes, doces, etc. Mas não sou interesseira, sou sincera. Não sou hipócrita como muita porpeta por aí
Bom, a helena vocês já conhecem, não preciso dizer muito. Amiga fiel e simpática, eu era Dom Quixote, ela era Sancho Pança. Ela era muito legal, tinha olhos verdes.
Foi um sacríficio para tirar Patrícia da cama, mas precisávamos buscar as meninas no metrô Brás, e depois ir no mercado extra pegar comida e bebidas… Sim, pegar. Quem disse que eu compro alguma coisa? Vocês acham que eu compro? Ahehehe eu sou tão ninja que já peguei emprestado até uma caixa de ferrero rocher DEBAIXO DE UMA SAIA, fora as garrafas de vodka, facas, desodorantes. Já peguei emprestado calcinhas, blusas, calças de marca. Sou tão conhecida nas lojas de grife do que nota de um real I DONT GIVE A FUCK I’M CRAZY…VERY CRAZY… É por isso que tenho uma única tatuagem na mão: Um ponto preto. Símbolo do pulguista. 155.
Compramos uma torta de limão, com sorvete. Uma garrafa de Campari, coca-cola, chocolate, balas, cigarros… Ia ser legal, poderia ser melhor. Queria que não tivesse chovendo, seria BEM melhor. Mas fazer o que.
Chegamos em casa, levei um pedaço de torta ao meu pai, ele deu uma mordida e vomitou. Estava preocupando-me, pois se ele batesse as botas aí sim, eu seria orfã e minha vida iria virar um inferno. Olha, eu amo Patricia, mas ter ela como mãe não dá.
Imaginem, dentro do quarto, Eu, helena, Patricia e Bianca. Gente campari com coca é tão bom! TAMBOM! HUUUMM GOSTOSOS! tava tudo tão perfeito, decidimos assistir todos STAR WARS, versão do diretor. Eram já umas nove horas, já estavamos começando a ficar meio altinhas ahehe o quarto estava uma mistura de cigarros, bebida e barulhos de Sabre de Luz, estava perfeito… Hm óbvio que algo faltava, e todas sabíamos: Um homem. Um caralho. Aff se tivesse um pau, só um pau, nem precisa ter o conjunto inteiro, agente ia se afogar! ahehe sei lá, minha jiglypuff já estava virando ostra, de tão melada, eu admito. Sou ninfomaníaca e preciso de sexo a todo instante. E isso é MUITO mais natural do que comer fruta, pelo amor, não sejam recalcados, mas USEM CAMISINHA SEMPRE.
Antes de continuar com a história, eu queria ensinar um pouquinho de psicanálise, se vocês tiverem saco para ler, bom vamos lá.
A mente humana é dividida em três partes:

SUPER EGO – É O POLICIAL DA MENTE. O QUE NOS IMPEDE DE COMETER ATOS.. DIGAMOS QUE ANIMALESCOS. É A PRUDÊNCIA, AQUILO QUE NOS CONTROLA.
ID – O ANIMAL DA MENTE. O NOSSO LADO ANIMALESCO, O INSTINTO HUMANO. LIBIDO SEXUAL. IMPULSOS.
EGO – SOMOS NÓS, O EQUILÍBRIO ENTRE OS DOIS. O EGO É O EQUILIBRIO ENTRE O POLICIAL E ENTRE O ANIMAL. QUALQUER DESEQUILIBRIO GERAM DOENÇAS MENTAIS.

Bom, espero que tenham entendido isso. Por que a bebida alcóolica EXPULSA o SUPER EGO da nossa mente. Ou seja? Viramos animais, fazemos de tudo e mais um pouco, nossas vontades mais pervertidas dominam nosso ser, a orgia toma conta da gente. Se existem mesmo “demonios” com certeza eles adoram pessoas que bebem. Pois literalmente, os atos mais demoniacos são feitos quando alguém está sob efeito da bebida, vide atropelamentos, homícidios, estupros, pedofilia. É triste, mas a bebida é uma droga assim como maconha, cocaína e crack. Quiçá pior que estas ultimas citadas.

Estavamos assistindo agora a Guerra dos Fantasmas Clonados, de 1969, um clássico, qualquer Geek tem que assistir. Já eram quase duas da manhã, e Patrícia já tinha capotado, a chuva ainda castigava SP. Helena e Bianca estavam fumando e bebendo o resto da mistura que fizemos, resolvi acender um cigarro, bebi mais uma dose. Assisti mais um pouco, paramos o filme, ficamos conversando. Disse para elas colocarem os pijamas, pois daquele jeito iriamos dormir que nem três porcas e nem perceberíamos, e dormir de roupa é foda né? Mas sei lá. Acho que no fundo eu queria que tudo aquilo acontecesse, pois eu já estava de pijama, uma camisola do Mickey e uma calcinha minúscula, vermelha. Mas era pequena mesmo, eu gosto de lingerie pequenas, que dão uma apertada, é bom pois coloca tudo em cima ehehehe

PRESTEM ATENÇÃO NESTA PARTE, POIS O MEU ID COMEÇOU A URRAR NA FURIA A PARTIR DAI

Eu já tava molhada e excitada.. Sei lá por que, mas vocês sabem que sou danada. Mas nesta hora, vendo a helena e Bianca, duas garotas, digamos bonitas e gostosas, a helena ainda era ninfetinha, a Bianca nem tanto, era mais mulher, porém ver a helena abaixar a calça apertada que estava vestindo, e ela fez isso de costas, revelando uma bundinha branquinha gostosa… Uma calcinha-shorts branca de algodão, e bem em cima das nádegas as covinhas… Quando ela tirou a blusa, os cabelos se mexeram inundando o quarto com um cheiro de chocolate, do shampoo que ela usava. Tentei desviar os olhos, mas era meio difícil. Eu realmente estava admirando a bunda da helena, e queria mais, queria ver como era a bocetinha dela, se era depilada, se era bigode de hitler. Se era carnuda, ou apenas um minimo corte de estilete, bem bocetinha mesmo. Eu estava me excitando com minha melhor amiga! Que porra! Meu primeiro erro foi não ter disfarçado, ér Bianca percebeu isso. Me olhou estranho, mas FODASE ela. Nunca gostei dela mesmo, sempre a achei interesseira e gorda. Ela que morra, se não queria aproveitar a heleninha comigo.
É meus leitores, vocês perceberam que eu já tava locona de goró. Minha mente estava confusa, não sabia o que estava acontecendo, eu gosto de homem porra! Gosto de rola e só! Mas eu estava doidinha vendo a Helena, tentei disfarçar, mas meus mamilos já estava aparecendo, destacando a camisola. Coloquei um timer no filme de meia hora, e tomei meu último copo. Fumei mais um cigarro, e comecei a brincar de fazer cócegas na helena, aquele sorriso bobo dela, aqueles olhos verdes brilhando… Não pude disfarçar, eu já estava olhando a boca dela, os lábios dela.. Tão delicados, aquela garota tão meiga.. Só de pensar que fui eu que levei ela para o caminho da perdição, ela curtia Cine! McFly! A mina era virgem, ainda era menor! Hoje faz chupeta em troca de pó! Mas vamos esquecer isso.
O quarto estava escuro. O filme estava em uma parte clássica onde Darth Vader revela ao Cluk Skywalker que ele é seu pai. Aaa amo essa parte! Darth Vader é o maior vilão do cinema desde Alex Delarge. Bom, vou detalhar como que iriamos dormir. Colocamos os colchões no chão, Pati estava do meu lado, e do outro Helena. E Próximo da gente, porém não do lado de ninguém, estava Bianca. Mas não confiem em meus detalhes… Agente tava tão loca graças à coca cola e ao Campari que ninguém sabia de nada! até que escutei uma voz feminina vindo da TV e quase me caguei: “Esta TV será desligada em cinco minutos” Ufa, era o timer. Não sei porque mas fiquei eufórica, minhas orelhas até esquentaram, não podia negar, eu estava pensando na helena, imaginando ela me chupando, lambendo meus lábios, chupando meu pescoço. Cada centímetro do meu corpo. Aaaaaaaaaaaaa que tesão caralho!

Neste momento a TV se desliga, preenchendo o quarto com uma escuridão densa, tensa e excitante. Como eu já disse em outros contos, prazer e medo estão juntos, são a mesma moeda. Tesão.

No quarto eu podia escutar um leve roncar da Patricia, e só. Durante quinze minutos fiquei naquele silêncio, ansiosa, escutava meu pai falando sozinho durante o sonho, um barulho de escapamento de moto na rua. Até que senti uma mão gelada encostar levemente em minha perna

“ATÉ QUE SENTI UMA MÃO GELADA ENCOSTAR LEVEMENTE EM MINHA PERNA”

Aquela mão gelada, me GELOU. Eu tava tão louca que não sabia exatamente o que estava acontecendo, eu estava deitada de barrigas pra cima, a perna esquerda completamente esticada, e a direita com o joelho dobrado, daquela maneira que deixa de ‘fácil acesso’ para brincarem com a minha jiglypuff.. Mas aquela mão gelada tinha chegado devagar, bem suavemente… Eu estranhei. Era gelada demais. Já escutei um ditado que um ex namorado me disse, que mão gelada é fogo na boceta. Bom, óbvio que quem quer que fosse que tivesse colocado a mão em minha perna, estava dormindo e por algum espasmo derrubou a mão em minha perna.
Felizmente isso não era verdade.
Aquela mão gelada subiu mais um pouco, ficando a dez centímetros da minha xaninha, que já estava começando a molhar a calcinha. Mas antes disso, aquela mão safada levantou minha camisola até o umbigo! PUTA QUE PARIU eu estava adorando, tenho que admitir. Como já disse, o meu ID estava a mil, acho que até se meu pai quisesse me comer eu dava pra ele. Sério. Emfim, não tirei aquela mão dali. Eu a deixei. Vamos ver no que vai dar. Gente, quem quer que fosse deveria pensar que eu estava dormindo, pois estava fazendo tudo devagar… Bem devagar… Eu não pude evitar, tive um espasmo na perna direita (eu já estava toda molhada, e quando fico assim minha xana incha, fica toda inchada, meu grelinho fica parecendo uma jujuba) e mexi a perna direita. Na mesma hora a mão gelada parou de tocar. “Deus eu viro evangélica, adoro uma criança negra PELO AMOR faça a mão voltar por favor por favor” aheheh adorava rezar mentalmente, sempre funciona. E não é verdade? Deus me ama caralho. Não demorou cinco minutos a mão voltou para minha perna. Mas agora ela estava bem grudada, quase a dois centímetros da entrada da minha xaninha… Estava na minha perna (já tava durando meia hora aquela brincadeira, eu queria mais) até que senti o que eu mais querida, senti um dedo indicador, meu Deus tão gelado, começando a me masturbar, pressionando devagar, começando na entrada da minha xaninha, subindo, chegando perto do clitoris.. Fazia uns movimentos circulares… Bem devagar.. Voltava pra baixo aaah ah ah comecei a gemer bem baixinho, agora eram dois dedos geladinhos, aquele choque térmico da minha xana quentinha com aqueles dedos gelados, delícia, que gostoso, três dedos, agora com um pouco mais de força, eu estava quase tirando a calcinha, queria sentir QUEM QUER QUE FOSSE HELENA OU BIANCA AFF MEU DEUS?! AMIGAS LESBICAS? ME TOCANDO?
Com um dedo aquela mão safada afastou minha calcinha pro lado e em um movimento só enfiou três dedos dentro de mim MANO DESLIZOU DIRETO e puta que pariu que delicia, dedos gelados começou a massagear meu ponto G não resisti e dei uma gemida “aaaaaah” senti alguém do meu lado direito se mexendo, quem seria? Aff, aquela mão estava me fodendo melhor que muito pau por ai, comecei a ter uma espécie de ataque epilético, parecia um animal sofrendo de dor, eu tava tremendo TODINHA da ponta do dedão do pé até o cabelo, não me aguentei e tirei a camisola

PUFF. A mão gelada sumiu.

(?)

Falei baixinho: “Helena vamos pro banheiro”
Nada. Silêncio.
Até que senti uma respiração emcima de mim, e deixei rolar
Só que a única coisa que senti foi um beijo carinhoso, amável e profundamente estalado em minha boca

FIM

Fuck it.

Olá. Meu nome é Nina. Conte me seus mais obscuros desejos e quiçá eu os realizarei.
Assim como posso ser a garota mais angelical que você vá conhecer, posso ser o seu mais sórdido e pútrido prazer.

Gente antes de começar o conto quero contar uma novidade! Fiz um piercing no mamilo hoje! Coloquei uma argola rosa, ficou lin-do! Tinha que falar isso.
Devo admitir que amo a cor da minha pele. Já disseram que em certas partes do meu corpo sou branca como papel sulfite, gélida como uma lagartixa. Nem ligo, já me xingaram de branquela, quando eu era mais nova já me xingaram de magrela. Coitadas… Porpetas. Aos quatorze os amigos do meu pai que iam bebericar whisky em casa desviavam o olhar quando eu passava. Ninguém queria ser flagrado admirando uma criança, mas meus caros, infelizmente a merda de nossa vida é assim. Eu bem sei disso, estou cansada de ser surpreendida em certos lugares por senhores casados, respeitáveis, oferecendo cinquenta reais por uma chupeta no carro. ÓBVIO que eu aceito, mas vejamos, vergonhoso não é mesmo?

Mulheres, se vocês não são recalcadas, lembrem-se sempre. Sexo é bom e mais natural que comer fruta. Se for para ganhar dinheiro emcima então… Melhor ainda!
Qual foi o sábio que disse que gênio é aquele(a) que consegue trabalhar e ser feliz ao mesmo tempo? Me esqueci. Nunca fui boa em história, porém o professor não parava de olhar minha bunda quando eu passava, e eu a-do-ra-va provocar, sempre ia para escola com shorts colados, e sempre dava um jeito de ser encoxada na sala de aula. I DONT GIVE A FUCK I’M CRAZY
Eu falando aqui em ganhar dinheiro com sexo… Porém neste conto vou falar sobre um sexo que seu pudesse eu teria pago. As minhas travessuras neste conto para umas será um fetiche. Para outras, sentirão nojo (as recalcadas) porém eu lhes digo só uma coisa: TAMBOM
Sexo sempre é bom, e nunca deve ser ignorado, exceto em casos extremos, quando o parceiro for um ogro mesmo. Nem menstruada eu nego uma foda, aliás até prefiro foder menstruada, ao contrário de muita porpeta por aí. Fuck it.
Bom, vamos voltar na máquina do tempo e focalizar minha mente naquele fatídico dia em que conheci Tião, O Pião. Só de lembrar já me estremeço toda, por isso para melhorar tudo, uma mão vai estar dentro da minha calcinha e a outra no teclado ok? Façam o mesmo por favor.
Toc toc toc. Barulhos fortes na porta do quarto, Patrícia continua dormindo, eu acordo, levanto, afasto seu cabelo do rosto e do um beijo estalado para acorda-la. “Nina, acorde, daqui a uma hora vamos para o interior, arrume as malas!” eu com uma baita preguiça, fui ao banheiro (graças a Deus o banheiro é em meu quarto) escovei os dentes, lavei o rosto, tomei um banho. Deixei o cabelo do jeito que tava (é liso meu bem rs). Patricia ainda dormindo, sono pesado… Admirei minha irmã mais velha. Ainda era bonita, e se não fosse minha irmã até que eu pegaria viu? Ela estava de bruços, de shorts brancos, calcinha de algodão vermelha. Pele pálida como a minha, um belo par de nádegas que eu adorava morder brincando. Vestia uma blusinha preta por cima, sem soutien. Ela mesmo tinha feito a blusa escrito: “Spider-Man” e um coração. Ela era tão inteligente, faz umas camisetas e pinta com tinta para tecido, eu já disse pra ela: “Começa a fazer alguma coisa da vida, você faz essas camisetas muito bem, deveria vende-las!” Mas não ia demorar muito tempo eu iria arrastar Patrícia para os meus esquemas, e ela iria saber como era bom ganhar dinheiro para gozar; fala sério né, tem coisa melhor?
Patrícia acordou, vestiu-se, peguei uma calcinha branca de algodão também na gaveta, decidi colacar um shorts branco, meio colado porém confortável, que destacava minha bundinha perfeitamente, e deixava aparecendo uma boa parte da minha Jiglypuff, destacada contra o shorts hehehe. Estava um calor miserável em São Paulo, logo em Capivari também estaria. Desde que minha mãe falecera, meu pai comprou esta casa e esporadicamente ele passa uns dias por lá. As vezes sozinho, as vezes com alguma amiga do seu trabalho. Ele é operador de telemarketing da CUUESP – Centro Universitário da Universidade do Estado de São Paulo, mas isso não interessa. Eu gostava desta casa, pois tinhamos poucos vizinhos, e um lindo campo caia como colírio em nossos olhos durante o luar. Era lindo.
Se por um lado eu estava feliz que iríamos pro interior, por outro lado eu estava triste pois odeio viajar de carro, sinto enjoô, e o Coby não parava de me lamber (desde o dia que tive a alucinação ele literalmente grudou em mim) e o Nino coitado, dormindo como sempre. Tomei uma água de coco, meu pai puxando assunto perguntando o que era um gel que achou em cima da pia do banheiro, KY, “Ah pai, machuquei o joelho, o médico receitou” hehehe bobinho, a viagem ia chegando ao seu fim, não demorou vimos a entrada da cidade, ufa, não aguentava mais.
Fazia um tempinho que não íamos pra lá viu? Antes de chegarmos, meu pai parou em um restaurante e fez uma ligação, eu nada boba fiquei atenta:

” Tião? Olá! Como está? Olha, estou em americana, como fazemos? Vou até sua cidade ou você vem até aqui para eu te pagar? O que? Mas acabamos de chegar, estou com minhas filhas! Faz um mês que você tá trabalhando para reparar e ainda não terminou?! Por favor né? Tá tá. Ok. Estou chegando, espera aí, tá, tá. Tchau.”

Se eu tinha entendido, meu pai pagou um tal de tião para consertar a casa. WTF? Quem se chama Tião? Tião, deveria ser um pião do agreste. Mas calma aí, o cara estava na casa? Então agente ia dividir casa com um pedreiro? Aff, queria voltar para São Paulo, já. Até chegarmos em casa, meu pai explicou que uma praga de cupins tinham quase derrubado a parede de um dos quartos, aff a casa deveria estar podre então! Patricia estava olhando desconfiada para mim. Toda vez que eu penso demais
meus olhos ficam estranhos, eu podia ler nos olhos dela “Nina vai fazer merda”, e pior que aquela porca gorda me conhecia bem, é, eu ia fazer merda esse feriado.
O Calor estava insuportável, eu estava toda suadinha… Que cidade feia, até o nome é feio, Capivari! Mas infelizmente papai não tem tanto dinheiro assim, e temos que nos contentar com uma casa comida de cupins numa cidade com nome feio. Fazer o que? Finalmente chegamos, e visualizei aquela casa velha, mas tinha seu charme, é, tinha seu charme.

Pelo visto, ninguém em casa. Paramos o carro, papai tirou as malas, antes me deu um beijo estalado e um abraço, aaa tambom amor de pai… Amo meu pai, e devo admitir que acho ele lindo! Meus olhos até brilham a falar dele, homem trabalhador, íntegro. Tiramos tudo do carro, e eu, toda serelepe sai correndo para ser a primeira a abrir a casa, eu amava aquela casa. Para minha surpresa a casa já estava aberta, então imaginem, eu correndo em direção a porta e…

“EU CORRENDO EM DIREÇÃO À PORTA E…”

PLOFT! OUCHIE! MANO A PANCADA QUE EU DEI COM A TESTA ERA O MESMO QUE BATER COM A CABEÇA NA ROCHA!
No mesmo instante que atravessei a porta, um negro de 1,96 de altura, sem camiseta, suado que nem um porco, COM UM PEITORAL meu deus, o que era aquilo, ele era tão malhado, aquilo não era um tanque, aquilo parecia uma estátua grega de tão duro e definido, então imaginem, eu, uma bonequinha de 1,65 com corpo mediando, acertando em cheio naquele negro enorme?! Oh my god, aquele era Tião, O Pião?
Fiz algo que fazia raramente. Rezei e agradeci. Pausa para agradecer à Deus mentalmente. Obrigado Deus, obrigado Deus, obrigado Deus. Ahaahahehehe No mesmo instante olhei para Patricia que já tinha ganhado a cena toda, meu pai coitado, tão bobinho veio andando em direção ao Tião estendendo a mão com um enorme sorriso esboçado nos lábios, e os dois se retiraram para dentro para conversarem; olhei para Patricia e disse: “Pati, hoje vou comer chocolate hmmm TAMBOM!”

Início da Parte 2:

Enquanto meu pai conversava com Tião, eu e Patrícia ficavamos falando besteiras e tentando twittar com a internet discada da nossa casa. Nem rede pegava naquele lixo, que merda. Passou meia horas, e fomos almoçar, eu, papis, Pati, e o meu paquera, Tião, O Pião. Gente, era tão lindo aquele grandalhão, todo tímido, que mal sabia falar português! Começou com um silêncio desagradável na mesa, e aquele macarrão com molho barbecue era a única coisa que me entretia, sem falar na minha mente, sei lá mano eu tava tentando ser super homem, tentando ver pela mesa com visão raio X, eu só queria saber uma coisa: O tamanho do pau do Tião. Só isso.

Eu comi tanto.. Mas tanto! E meu pai fez suco de maracujá ainda.. Delicia viu? Papai tava tão cansado, noite passada tinha trabalhado que nem um porco no telemarketing. Plantão, etc. Admiro este homem que rala que nem um porco para dar tudo do bom e do melhor para mim e minha irmã, mas emfim. Patricia, ela tinha comido tanto, mas tanto, mas tanto, que por um instante imaginei ela explodindo, igual no filme Seven (já viram? melhor filme de serial killer, aff Jigsaw é cópia!) mas emfim, acho que mais uma vez Deus estava me ajudando, por que Patricia subiu na hora pro quarto, e eu aproveitei, liguei a TV e fiquei deitada no colo do papai, no sofá, de bruços, bem serelepe, bem infantil. Meu shorts que antes era branco, agora estava meio transparente, pois o calor estava miserávelmente forte. Tião estava na cozinha, consertando e tapando alguns buracos com madeira, eu olhava de vez em quando COM MUITA DISCRIÇÃO, afinal não posso deixar papis perceber meu plano maligno. Abri um pouco as pernas, arrebitei um pouco a bundinha… Eu tinha certeza que minha calcinha estava aparecendo, afinal o shorts era bem branco e coladinho!

Eu estava rezando para Deus de novo mentalmente hehehe daqui a pouco eu iria viriar evangélica mano. Eu estava implorando para Deus para que escutasse o ronco do meu pai. Já até imaginei o que eu iria fazer, iria esperar papai dormir, e ir até a cozinha beber um copo dágua, eu ia dar um jeito de passar bem perto do Tião Negão, eu queria sentir aquele pau grosso encostando no meu bumbum, e se ele fosse esperto iria me levar para algum lugar e me foder bem gostoso… Esfregar aqueles musculos, aquele pau gostoso suado na minha cara… Eu pensando naquilo, já me encharcando, preparando pra receber aço na raxada… Sabia que era um pau enorme, então minha Jiglypuff tinha de estar bem escorregadia… Não queria sentir dor, não naquela hora. E cu? Nem pensar, ele teria que se sentir feliz só com a Jiglypuff, talvez com a minha boquinha ahehehe sou Nina, boquinha-de-ouro!

Gente sinceramente, até eu estava ficando com o sono. Tava passando Jumanji na globo, filme legal mas… Putz, filme velho! Até que algo espetacular aconteceu, eu recebi um banho de baba na cara, quando olhei para cima, TCHAN! Papis estava semi-morto. Estava babando. Dormindo que nem um bebêzinho. Desconfiei, pois meu pai é a pessoa mais inteligente que conheço, vai que ele estava fingindo e tinha percebido tudo? Falei baixinho: “Pai?” nada. Falei mais alto: “PAI”, continuou babando, porém estendeu uma perna no sofá e começou a roncar

“ESTENDEU UMA PERNA NO SOFÁ E COMEÇOU A RONCAR”

AI MEUS LEITORES AMADOS, EU AMO DE RELEMBRAR ESTE FATO, POIS FOI A MINHA PRIMEIRA VEZ COM UM NEGÃO. HOJE APELIDO CARINHOSAMENTE OS NEGROS DE CHOCOLATE, NESTLE E TODINHO. EU AMO NEGROS, GOSTO DA VIRILIDADE, GOSTO DO CHEIRO, GOSTO DA SERPENTE QUE ELES TÊM NO MEIO DAS PERNAS. GOSTO DO FÔLEGO, DO OLHAR, A ÚNICA COISA QUE NÃO GOSTO É DO CABELO! AF, DEUS É MUITO RUIM, DEVERIA TER FEITO OS NEGROS COM CABELO LISO! NÉ NÃO? NÃO É MESMO?

Levantei devagar, e finalmente vi por completo, Tião estava emcima de uma escada, passando cola em umas partes quebradas, sei lá o que ele tava fazendo. Sem camiseta, e com uma bermuda suja, de nylon. No pé, vestia uma bota de couro, desgastada e suja também. Agora eu iria conferir o que eu queria saber (eu sou tão esperta que observei tudo isso em cinco segundos) e realmente, era o que eu já estava esperando, aquele preto era caralhudo, ou melhor, era o caralho dos caralhos, o king caralhão.
Meu que cara burro. Nem percebeu que eu estava olhando pra ele e indo em direção à cozinha, porém algo bom aconteceu, ele desceu da escada, e antes dele cairam as gotas de suór, litros. Segunda coisa boa, foi em direção à pia, o que eu queria. Tratei de andar mais rápida do que ele (já perceberam que sou ninja né?) e ai ele me viu. Abriu um sorriso bobo e disse: “Oi”, respondi a mesma coisa e fui pegar um copo na pia. Comentei algo sobre o calor, coitado… Um homem daquele tamanho mal sabia falar! “É fia um calo disgramado mesmo mas agente trabaia né? Tem que coloca comida no instrômago, alimenta os fio a muié né?” Fiquei com dó. Mas ignorei e segui meu plano, fui para frente dele e empinei a bunda o máximo que podia para encher o copo dágua EEEEEEE PIMBA! acertei em cheio, e vou descrever o que eu não esperava que acontecesse
Estava tanto calor, que parecia que eu estava sem shorts e o Tião sem bermuda. Aquele pião estava SÓ de bermuda. E não para ai, aquele doido estava com pau parecendo rocha, ele tava de pau duro mano!!! Aff, fiquei uns 5 segundos, sério, até me esfreguei, aff que vergonha. Na mesma hora me molhei toda, fiquei imaginando o contraste da minha pele branquinha com aquela pele preta, ele parecia carvão, era um preto de verdade! E caralhudo! PARABÉNS NINA, DEUS TE AMA! aaahaha eu me amo, eu sou foda, eu sou Nina, a ninfeta na fúria.
Bom, o melhor já tinha acontecido, ele tinha ficado de pau duro para mim, não reagiu a encoxada. Mas também ficou parado lá, encostando o pau na minha bunda; ele estava gostando, sabia disso. Mas fiquei com receio que ele não quisesse me foder, com medo da reação do meu pai. Inclusive até conferi na hora se meu pai estava dormindo, e realmente estava, que nem pedra. O meu segundo passo seria chama-lo para outro cômodo… Pensa Nina, pensa nina (na hora pensei comigo ahaha)
Falei: “Tião, você viu que o banheiro está com goteira?” enquanto falava isso, bem devagar e baixo, lambi o lábio superior, limpando o suór. E nisso ele responde: “Ô minha fia num fala isso que fico até cum vergonha seu pai num pode sabe si nao me mata!” Meu Deus como eu sou ruim! FODASE I DONT GIVE A FUCK IM CRAZY, “Vamos lá em cima que te mostro aonde não para de molhar…” Mano, tentei jogar meu olhar mais de puta possível, mas sei lá. Ele não entendia.
Chegamos no banheiro. Nossa, tremi na base, sabia que eu poderia até causar a prisão dele se tudo desse errado. Teríamos que ser rápidos, muito rápidos.
“O fia pode mi fala onde ta moiando!” Não pensei duas vezes manolos, quando ele falou isso abaixei o shorts deixando aparecer minhas pernas branquinhas e minha bocetinha por debaixo da calcinha, toda molhada. Ahehehehe vocês tinham que ver a cara dele, de preto ele foi pra marrom, por que ficou pálido. Medo? Tesão? Os dois juntos é a melhor coisa. Tião mostrou-se bem mais esperto que eu pensava, fechou a porta do banheiro “Eu sei o que você qué minina deixa que o pião aqui vai ti dá tá? patricinha danada que mama na vaca preta né? safada” Ele me segurou com força, mas ao mesmo tempo me respeitando, nem beijou minha boca, me fez sentar no vaso, segurou minha nuca, e com a outra mão abaixou o shorts, como eu já imaginava, um monumento. Um pau enorme, parecia uma tora de madeira chamuscada, grande, grosso e preto, com uma cabeça roxa na ponta. Falou: “Abre a boquinha vai o negão aqui vai da leitinho na boquinha, abre a boquinha vai” Gente, simplesmente perfeito, abri a boca e comecei a degustar a cabeça daquela rola preta, mamando bem gostoso TAMBOM eu amo chupar, amo mamar, ele segurou minha cabeça com as duas mãos e literalmente começou a foder meu rosto, eu sentia aquele pau enorme indo contra a minha boxexa eu com a boca toda molhada, o barulho da sucção estava altissimo gente, sério brisei que era um picolé, picolé de chocolate. O que eu fui descobrir depois, é que no recheio era leite condensado, por que ele encheu a minha boca e a minha cara de porra, depois de 20 minutos fazendo eu mamar naquela teta de vaca preta… Ele gozou tanto, me deu um verdadeiro banho “chupa e engole sua patricinha danada… Agora deixa o tião faze o que sabe fase de melhor.. Deixa vai… Tira a calcinha e vira a bundinha…

Quando este conto tiver 500 visualizações, posto o resto desta história

Será que Nina foi descoberta?
Será que Tião enrabou Nina?
Será que Patricia seria mais uma comida do Negão?

Descubra. E aguarde
V I S C E R A M I R R O R

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.